Contacto SMS ou gravador: 910 873 850

ENM

O Equilíbrio Neuro-Muscular (ENM) surgiu na década de 80 e teve origem na quiropraxia americana (Escola de Logan – Activator Method Chiropratic Technique) e consiste no equilíbrio do corpo através de uma leva vibração ou micro thrust no sentido da correção da lesão.

A inovação por parte de François Soulier prende-se com a inclusão dos conceitos da Osteopatia e Posturologia ao Activator Method surgindo assim a técnica de ENM.

O ENM é direcionado para o tratamento de dores articulares e vertebrais e consequentemente liberta as restrições de mobilidade. É um método inovador,preciso, simples, eficaz, que se destina a todos, da pediatria à geriatria, sem se esquecer das patologias dos desportistas.

Esta técnica é baseada num protocolo de testes estruturados. A confiabilidade da correção realizada é controlada a cada etapa do tratamento. O ENM consiste em equilibrar o corpo como um todo, considerando o indivíduo globalmente. O ENM assegura a ausência de fadiga para o Fisioterapeuta, sem stress para o paciente, assegurando uma qualidade no tratamento idêntica do início ao final do dia de trabalho.

Trata-seda aplicação de uma leve vibração ou um micro-thrust destinado a reduzir os problemas articulares e vertebrais através de uma correção não manipulativa com a ajuda de um pequeno aparelho mecânico que produz uma vibração precisa e suave no sentido da correcção da lesão. Esta vibração ou micro-thrust envia uma informação ao corpo que aceita e desencadeia o seu processo de equilíbrio, o que restabelece uma amplitude normal não dolorosa nas articulações e relaxa os músculos associados. Atuando desta forma, controla-se o equilíbrio neuromuscular global e/ou segmentar do paciente.

François Soulier, construiu o Equilibrador NeuroMuscular com a ajuda de um engenheiro e do CEREM, que tem a capacidade de gerar uma pressão aproximada de 500g. Esta pressão atravessa o tecido mole e desencadeia uma vibração unidirecional de 180 gramas destinadas a informar o sistema nervoso sobre a origem do seu problema e provoca uma auto-correção global, não stressante e natural do corpo. Este é um aparelho que permite tratar sem nenhuma manipulação, direcionando ao corpo os estímulos ideais, no local correto, de forma muito precisa economizando a força do Fisioterapeuta!

Durante o ciclo de vida, o corpo é submetido a diferentes pressões, stress, movimentos repetidos, choques físicos, acidentes,etc. Além disto, existem atitudes que comprometem a coluna vertebral, sempre no mesmo sentido, mas para cada um de forma diferenciada.

Se com a mão o Fisioterapeuta pressiona uma articulação no sentido da lesão, os músculos contraem-se, a deformação aumenta, uma torção ocorre na bacia e uma perna pode tornar-se aparentemente mais curta.

Pelo contrário, se com a mão se vai no sentido da correcção da articulação, o corpo relaxa e as duas pernas igualam-se.

Durante o tratamento e a cada teste, o Fisioterapeuta estimula e corrige unicamente as regiões que necessitam.

Todos os biomecânicos sabem e dizem “Tudo está em tudo”. Cada ação cria uma reação. As doenças psicossomáticas são as mais reveladoras para compreender que o corpo é o reflexo da mente. A coluna vertebral que é o“mastro” do corpo recebe todas as informações. Estimulando de maneira precisa a coluna vertebral, é possível equilibrar e anular todas as tensões neuromusculares.

O corpo aceita esta informação, o que será positivo. O corpo não é forçado, ele é livre para aceitar a informação e reagir imediatamente na maioria dos casos. No entanto, a reação poderá ocorrer 24 ou 48 horas depois do tratamento e algumas vezes três ou quatro sessões, conforme o nível do bloqueio.

Da coluna vertebral, partem 31 pares de nervos raquidianos.

Cada zona de influência de um nervo raquidiano divide-se em múltiplas partes para formar o segmento ou enervação segmentar, que é todo o território de influência de apenas um nervo raquidiano.

Com o ENM actua-se sobre:

  • neurónio – dermatoma que é a zona de influência do nervo raquidiano na pele e no tecido subcutâneo

  • miótoma – que é a enervação do músculo, dos tendões, dos ligamentos e das aponevroses

  • viscerótoma – que é a enervação das vísceras correspondente ou do território visceral e angiótomo para os vasos sanguíneos e linfáticos

  • esclerotoma – que é a enervação do osso–reflexo psico-afetivo correspondente do córtex

Agindo sobre uma parte do segmento, por via reflexa actua-se de seguida em todo o órgão e o emocional correspondente.

Agindo sobre uma parte do segmento, por via reflexa actua-se sobre o todo incluindo o órgão.

A coluna apresenta-se no seu conjunto como uma vasta cadeia poliarticular onde todos os elementos são solidários uns com os outros. A estabilização e o posicionamento dependem das cadeias musculares.

Uma cadeia muscular profunda que é feita de músculos intersegmentares monoarticulares e outra cadeia muscular superficial, constituída de músculos longos e poliarticulares.

Existem dois tipos de enervação muscular:

  • a dos músculos dinâmicos, responsáveis pelos gestos voluntários e conscientes

  • a dos músculos estáticos, responsáveis pelo equilíbrio (equilíbrio segmentar ascendente, adaptações estáticas descendentes) que actuam de maneira reflexa.

A função estática depende destes dois sistemas. Um é o reflexo miotático que é primitivo, é um arco reflexo ao nível do músculo. O outro, mais elaborado, é o arco gama que harmoniza toda a tonicidade postural em função da verticalização e da horizontalização do olhar.

Os movimentos voluntários da coluna vertebral inscrevem-se num programa cortical global extrapiramidal, coordenado pelo cerebelo, a partir dos proprioceptores músculos-tendinosos, os FNM e os OTG.

Toda e qualquer inclinação faz com que se desencadeiem as contra-reacções imediatas de equilíbrio. O que faz com que toda modificação da estrutura de uma articulação vertebral se repercuta imediatamente sobre o conjunto da coluna vertebral através do jogo das curvaturas permitindo a horizontalização do olhar. Esta está submetida à pressão mecânica de C1, C2, occipital permitindo uma compensação diferente a cada uma: horizontal, vertical e transversal. O Fisioterapeuta encontrará sempre alteração de uma destas articulações.

Com duas etapas complementares do tratamento com ENM, em decúbito e em pé, o Fisioterapeuta estimula especificamente o sistema nervoso que responde através de reações diferentes distintas:

  • Em decúbito o arco reflexo age sobre os músculos dinâmicos e estáticos periarticulares da zona tratada, o que necessita de uma correcção exata e precisa sobre a vértebra selecionada. O corpo reage imediatamente relaxando-se e os dois pés do paciente equilibram-se indicando o sucesso da auto-correcção.

  • Na posição de pé: actua-se no sistema postural fino,que coordena as tensões musculares de forma autónoma, permitindo ao corpo que se mova e que continue em pé sem um estímulo nervoso voluntário. Utilizando o ENM nas inserções tendinosas musculares dos grandes músculos próximo das suas inserções ósseas no local onde se situam os receptores proprioceptivos, o Fisioterapeuta permite que o corpo se reequilibre imediatamente. O ganho de amplitude articular confirma o sucesso da intervenção.

 

Fonte: Manual de Formação MedidisEnseignement // Formation Kinésithérapie à la Méthode Soulier

Newsletter

INSTITUTO DE TERAPIA INTEGRATIVA

Clínica Pediátrica de Setúbal (Setúbal)
Centro Terapêutico Sotto Mayor (Quinta do Conde)
CASCUZ (Sesimbra)

Tel.: 910 873 850

Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª, com marcação prévia, mediante disponibilidade.

Estatísticas

  • 47977Total visitas:
  • 0Visitas online: